Procurar
Close this search box.

 

No âmbito da parceria entre a Livaningo e ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), através do acordo para a implementação das actividades no âmbito do projecto: Enhance Private Sector Engagement and Access to Markets in Fragile Context, em Maratane, a Livaningo promoveu no ano passado, uma Feira de Mercado no Centro de Refugiados de Maratane, província de Nampula, com objectivo de promover a comercialização de produtos agrícolas, garantindo a ligação dos camponeses com o mercado, bem como a promoção de serviços sociais.

As associações de produtores bem como produtores individuais de Maratane não tinham feira de mercado para promover e vender seus produtos agrícolas. Contudo, a Feira de Mercado de Maratane permitiu os beneficiários expositores refletirem sobre qualidade de produtos que produzem para exposição e aumentar a sua produtividade, olhando não só para clientes das comunidades locais, mas também permitindo que os seus produtos sejam procurados por outros revendedores para colocá-los em mercados de outros locais fora de Maratane.

A Feira de Mercado de Maratane promove dinâmicas comerciais, seja na venda de produtos agrícolas, oriundos das comunidades, bem como no desenvolvimento sustentável. Os produtos são adquiridos na Feira de Maratane por empresários de instâncias hoteleiras (take aways) e revendedores para os mercados da cidade de Nampula (nos mercados formais e informais como waresta, Belenenses entre outros).

Na ocasião, o Fórum de Associações Produtoras de Maratane saudou a iniciativa da Livaningo e parceiros pela realização da feira, pois é um sonho que se tornou realidade: “Estamos gratos pela iniciativa tendo em conta que os associados produzem comida, mas não tinham mercado próximo. Assim que o nosso sonho se tornou uma realidade, a alegria emana no rosto e no fundo do coração de cada um de nós”.

Estiveram presentes 15 associações, expondo produtos agrícolas como: pepino, couve, ervilha, limão, abobora, banana, verde, mandioca fresca, cebola, massaroca, milho, laranja, rizoma, piripiri, batata doce, repolho, tomate, pimento, papaia, quiabo, massanica, feijão verde, melancia, feijão nhemba, beterraba, tamarinho,etc.

Por sua vez, os comerciantes individuais colocaram a venda produtos como roupa usada, capulanas, peixe, bebidas alcoólicas, maçãs, farinha, beringela, alimentos confecionados e diversos produtos. Para além de expositores da feira de mercados, estiveram no local líderes comunitários, membros do governo e mais de 2500 pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *